Por que é de extrema importância que as crianças voltem às aulas?

  • por

Há algum tempo que já estamos em aulas presenciais mais uma vez. Bem diferente da vida como era antes da pandemia, nossas crianças se adaptam e estão aprendendo aos poucos a nova rotina que conta com álcool em gel nas mãos, máscara (de todas as cores, temas e desenhos possíveis), distanciamento e cuidado. Por outro lado, percebemos que certas coisas nunca mudam — ou até ficam melhores depois de tanto tempo longe: Rever os amigos, conversar com a professora e brincar no parquinho depois de tanto tempo longe carrega ainda mais felicidade que o normal. Nossas crianças estavam com saudade.

O que os pais poderão perceber nas crianças, com a volta das aulas, é que aprender novas coisas todos os dias faz total diferença no comportamento em casa. Os sinais da aprendizagem, da rotina estabelecida na escola e do convívio com outras crianças voltam a ser notados na interação dos pequenos com os familiares, no sono, no comportamento e até na alegria, independência, autoconfiança, criatividade e muito mais. Viver a Educação Infantil se prova cada vez mais importante.

Há algum tempo, grupos de médicos pediatras passaram a se posicionar a favor da abertura das escolas. O pediatra Rubens Cat, professor da Universidade Federal do Paraná e chefe do Departamento de Pediatria do Hospital das Clínicas de Curitiba, é um grande defensor da volta às aulas na pandemia, tendo como base dados de outros países que indicam que crianças que ficam em casa tiveram de três a cinco vezes mais chances de contrair a Covid do que as crianças que foram para as escolas.

Estudos feitos pelo Centro de Controle de Doenças Europeu (ECDC) concluem também que a escola é dificilmente um grande foco de transmissão e apontam que mesmo que crianças até possam transmitir o vírus da Covid-19, as chances são bem menores que a transmissão entre adultos. Outra pesquisa feita na Austrália e publicada na revista científica “The Lancet” em agosto de 2020 ressaltou que, pelo número baixo da taxa de transmissão em ambientes educacionais, as escolas poderiam ser reabertas, desde que de maneira segura, “para o bem educacional, social e econômico da comunidade”.

“…pelo número baixo da taxa de transmissão em ambientes educacionais, as escolas poderiam ser reabertas, desde que de maneira segura, “para o bem educacional, social e econômico da comunidade”.

Revista The Lancet, agosto de 2020.

No Espaço Infantil, cada momento do ensino é essencial para a formação da identidade social de nossos pequenos. A interação com professores, com os colegas em sala, o conhecimento de si e reconhecimento do outro, as brincadeiras, as atividades lúdicas entre outras vivências, são exclusivas da educação infantil para incentivo de competências socioemocionais, e não podem ser substituídas. É neste ambiente que as crianças aprendem sobre autoconhecimento, amabilidade, autogestão, resiliência emocional, entre outras habilidades tão necessárias para a vida.

É importante ressaltar que o ambiente escolar só é seguro quando há a colaboração de todos. Alunos, familiares, professores e colaboradores devem, cada um, fazer sua parte, para que a escola consiga seguir sua função de educar e formar a identidade social dos pequenos junto à família com segurança. O tempo longe da escola não pode ser revertido. O papel da escola, daqui pra frente, é fazer tudo para garantir um ambiente seguro para seus frequentadores e acolher as crianças que voltam para as salas de aula com uma nova bagagem.